CBD reduz crises de ansiedade de jovem com TDAH

Na pré-adolescência, Vanderley Cirilo Junior , de 25 anos, começou a apresentar sintomas preocupantes em relação a sua saúde mental. E após muita luta e fortes remédios alopáticos, o jovem encontrou na Cannabis a qualidade de vida que procurava durante tantos anos, identificando que o CBD reduz crises de ansiedade.

Crises de ansiedade, falta de ar, pensamentos confusos, tremulações, coceiras, sudorese, estresse e perda de apetite passaram a fazer parte da sua rotina, impactando diretamente na sua qualidade de vida e das suas relações.

Ao ir ao psiquiatra o diagnóstico foi de TDAH (Transtorno do déficit de atenção com hiperatividade), um transtorno que atinge mais de 2 milhões de pessoas anualmente só no Brasil, com grande incidência entre crianças e adolescentes.

Foi então que Vanderley passou a ser tratado com metifenidato, medicamento da família da anfetamina usado para tratar pacientes com TDHA. Porém, o que parecia a solução do problema se tornou um caos na vida do jovem.

“Foi aí que tudo começou a piorar. Tomei o medicamento por seis anos, mas ninguém relacionava os efeitos colaterais ao remédio. Achavam que era uma progressão do transtorno, então passei a tomar ansiolítico e antidepressivos para amenizar as crises. Passei a ter mais foco, mas piorava muito outros sintomas. Eu achava que eu era o problema”, conta Vanderley.

Mais medicamentos, menos melhoras

Em 2017, depois de passar por um problema pessoal, o quadro se agravou e uma forte crise de pânico tomou conta da sua história, levando-o a pensar que iria morrer. As doses dos medicamentos precisaram ser dobradas e a terapia intensificada, além disso, mais um remédio foi acrescentado na lista para ajudá-lo a dormir.

“Depois deste episódio me soou um alarme. Nada me tirava da cabeça de que boa parte do que eu sentia tinha a ver com o remédio para tratar o TDAH. O médico insistia que não era a fonte, mas considerou que o medicamento poderia sim ser responsável pelo agravamento das crises. Por fim, os resultados não eram tão bons e eu seguia convivendo com aqueles sintomas quase que incapacitantes”, relembra.

Foi então que Vanderley decidiu apostar suas fich as na psicoterapia, o que lhe levou a ter uma visão mais ampla do que desencadeava as crises, como o distanciamento da família, um relacionamento abusivo, a imaturidade, a baixo autoestima e tantos outros fatores psicossociais que colaboravam para um quadro ainda mais grave dos sintomas que convivia desde tão jovem.

Porém, mesmo tendo mais clareza dos seus processos psicológicos, os remédios alopáticos ainda eram sua única opção para conter as crises e seus efeitos físicos.

CBD reduz crises de ansiedade

Em 2018, Vanderley decidiu, por conta própria, inserir a Cannabis em sua vida. Por meio do uso adulto, o jovem passou a perceber que se sentia melhor. O sono melhorou, o apetite voltou, a ansiedade deu uma trégua. Então, decidiu compartilhar suas percepções com seu psiquiatra.

O médico, que estava estudando sobre o assunto, fez a proposta de começarem um tratamento com óleo rico em CBD (canabidiol). E foi então, que em maio de 2019, o processo com o canabidiol começou e os resultados vieram rapidamente.

Antes, Vanderley tinha graves crises de ansiedade durante à noite. Acordava sem ar, com a cabeça acelerada e dores no peito. Com a terapia canabinoide, os sintomas foram reduzidos e as noites passaram a ser mais revigorantes e menos assustadoras.

No dia a dia, a mente ficou mais tranquila e a concentração melhorou. Diante dos bons resultados, dois dos quatro remédios alopáticos que tomava já não eram mais necessários.

E se havia alguma dúvida de que o CBD era o responsável pela qualidade de vida que Vanderley agora tinha, em junho de 2020, o jovem esqueceu de fazer o pedido e precisou passar alguns dias sem o óleo.

“Achei que fosse morrer.  Fiquei péssimo. Todos os sintomas voltaram com força. Não conseguia dormir, acordava todas as noites com crise de ansiedade, não tinha ânimo para nada. Ali eu tive certeza de que o CBD era o responsável pela minha melhora”, conta.

A conclusão do médico foi que o uso do medicamento para TDAH na adolescência gerou sequelas e desequilíbrios químicos que, hoje, a Cannabis é capaz de regular.

Por conta da gravidade dos sintomas e da pandemia, Vanderley precisou manter dois remédios alopáticos, mas que já não causam tantos efeitos colaterais. Juntamente com os medicamentos, o jovem segue seu tratamento com CBD.

“Espero um dia só precisar do canabidiol para conter minhas crises. Vou seguir meu tratamento direitinho e começar o desmame dos outros remédios assim que meu psiquiatra achar que é o momento. Sou grato a Cannabis e a chance que ela me deu de ter uma vida melhor”, finaliza.

Leia mais

Cannabis no tratamento da ansiedade, depressão e TEPT

Pacientes tratados com Cannabis requisitam menos os serviços de saúde, relata estudo

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: